Análise da agressividade docente na cena pedagógica: implicações para a formação de professoras(es)

Andréa Pires de Oliveira

Resumo


A partir da teoria psicanalítica laplancheana e winnicottiana da agressividade, objetivou-se analisar a agressividade de uma docente e seus efeitos na cena pedagógica através do estudo de caso de uma professora da Educação Infantil. Numa pesquisa qualitativa, recorrendo à triangulação entre observação, entrevista e grupo focal, tomou-se como unidade de análise a cena pedagógica (definida como o conjunto de interações entre docentes e discentes e dos significados intersubjetivos dessas interações nos vínculos envolvendo esses sujeitos). Constataram-se condutas docentes agressivas na interação com alunos da turma, o que levou à hipótese de que as dificuldades subjetivas da professora em lidar com a própria agressividade interferiam no manejo da agressividade discente. Considerando a subjetividade da docente, a participação da professora em formação docente continuada promovida durante a pesquisa viabilizou a tomada de consciência de novos arranjos relacionais entre a professora e as crianças de sua turma, favorecendo a qualidade do seu manejo.


Palavras-chave


Agressividade docente; cena pedagógica; teoria psicanalítica; formação docente.

Texto completo:

PDF

Referências


Birman, J. (2006). Arquivo da agressividade em psicanálise. Natureza humana, 8(2), 357-379. Recuperado em 15 jan. 2020 de .

Freud, S. (1996). Formulações sobre os dois princípios do funcionamento mental (1911). In Freud, S. [Autor], Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, v. XII. Rio de Janeiro: Imago. (Original publicado em 1911)

Freud, S. (1996). Algumas reflexões sobre a psicologia do escolar. In Freud, S. [Autor], Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, v. XIII. Rio de Janeiro: Imago. (Original publicado em 1914)

Freud, S. (1996). A sedução e suas consequências imediatas. In Freud, S. [Autor], Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, v. XVII. Rio de Janeiro: Imago. (Original publicado em 1918)

Gatti, B. A. (2005). Grupo focal na pesquisa em ciências sociais e humanas. Brasília: Líber Livro.

Kupfer, M. C. (1989). Freud e a educação. O mestre do impossível. São Paulo: Scipione.

Laplanche, J., & Pontalis, J. B. (1992). Vocabulário da psicanálise. São Paulo: Martins Fontes.

Laplanche, J. (1988) A pulsão de morte na teoria da pulsão sexual. In Laplanche, J. [Autor], Teoria da sedução generalizada e outros ensaios. Porto Alegre: Artmed.

Laplanche, J. (1992). La révolution copernicienne inachevée (travaux 1967-1992). Paris: Aubier.

Laplanche, J. (2015). A partir da situação antropológica fundamental. In Laplanche, J. [Autor], Sexual. A sexualidade ampliada no sentido freudiano. Porto Alegre: Dublinense.

Laplanche, J. (2012). Masochisme et sexualité. Entretien avec Jacques André. In André, J. (Org.), L’énigme du masochisme (p. 19-30). Paris: PUF.

Minayo, M. C. S. (2015). Trabalho de campo: contexto de observação, interação e descoberta. In Deslandes, S. F., & Minayo, M. C. S. (Orgs.), Pesquisa social: teoria, método e criatividade (p. 61-77). Rio de Janeiro: Vozes.

Moreira, A. F. B. (2005). Currículo e estudos culturais: tensões e desafios em torno das identidades. In Silveira, R. M. H. (Org.), Cultura, poder e educação: um debate sobre estudos culturais em educação (p. 123-143). Canoas: ULBRA.

Morgado, M. A. (2011). Autoridade e sedução na relação pedagógica. Psicologia da Educação, 32, 113-130. Recuperado de em 15 jan. 2020>.

Winnicott, D. W. (1982). A mãe, a professora e as necessidades da criança. In Winnicott, D. W. [Autor], A criança e o seu mundo. Rio de Janeiro: LTC – Livros Técnicos e Científicos Editora S. A.

Winnicott, D. W. (1983). Classificação: existe uma contribuição psicanalítica à classificação psiquiátrica? In Winnicott, D. W. [Autor], O ambiente e os processos de maturação: estudos sobre a teoria do desenvolvimento emocional. Porto Alegre: Artmed. (Original publicado em 1959)

Winnicott, D. W. (1983). Da dependência à independência no desenvolvimento do indivíduo. In Winnicott, D. W. [Autor], O ambiente e os processos de maturação: estudos sobre a teoria do desenvolvimento emocional. Porto Alegre: Artmed. (Original publicado em 1963)

Winnicott, D. W. (1995). Agressão e suas raízes. In Winnicott, D. W. [Autor], Privação e delinquência. São Paulo: Martins Fontes. (Original publicado em 1939)

Winnicott, D. W. (1995). Influência de grupo e a criança desajustada: o aspecto escolar. In Winnicott, D. W. [Autor], Privação e delinquência. São Paulo: Martins Fontes. (Original publicado em 1955)

Winnicott, D. W. (2000). O ódio na contratransferência. In Winnicott, D. W. [Autor], Da pediatria à psicanálise. Obras escolhidas. Rio de Janeiro: Imago. (Original publicado em 1947)

Winnicott, D. W. (2000). A agressividade em relação ao desenvolvimento emocional. In D. W. Winnicott, D. W. [Autor], Da pediatria à psicanálise. Obras escolhidas. Rio de Janeiro: Imago. (Original publicado em 1950)

Winnicott, D. W. (2005). O uso de um objeto e o relacionamento através de identificação. In Winnicott, D. W., Winnicott, C., Shepherd, R., & Davis, M. (Orgs.). Explorações psicanalíticas. Porto Alegre: Artes Médicas. (Original publicado em 1968)

Winnicott, D. W. (2010). Holding e a interpretação. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.