Políticas Editoriais

Foco e Escopo

A revista TEMPO PSICANALÍTICO é publicada regularmente desde o ano de 1978 e possivelmente é a única revista dedicada à Psicanálise e áreas conexas em existência contínua desde essa época no Rio de Janeiro. Foi originalmente semestral, passou alguns anos a anual, de 1990 até 2008, e voltou a ser semestral desde então.

 

Ela é uma publicação da Sociedade de Psicanálise Iracy Doyle, e, embora não seja publicada por uma Instituição de Ensino Superior, tem e sempre teve como meta se manter como uma revista de referência na área da Psicanálise, seguindo as diretrizes estabelecidas pela CAPES para a boa avaliação de uma publicação científica.

 

Essa política tem tido frutos, de vez que a revista participou já da primeira avaliação dos periódicos efetuada pela Comissão CAPES/ANPEPP em 2000, e foi classificada como A na ocasião. Em 2001 foi classificada como Local A, em 2004 foi classificada como Nacional B, em 2007 como Nacional A, na avaliação de 2008, com a mudança do sistema de classificação, tornou-se B1 e atualmente é classificada como A2. Um esforço no sentido da modernização e adequação da publicação aos novos critérios tem sido levado à frente durante todos esses anos.

 

A Sociedade de Psicanálise Iracy Doyle, instituição responsável por Tempo Psicanalítico, que apresentaremos brevemente, chamou-se originalmente Instituto de Medicina Psicológica (IMP), fundado em 1953. Dedicava-se desde o início ao ensino e pesquisa na área da Psicanálise, assim como à formação do psicanalista. Em 1984 houve uma reforma regimental e estatutária, e ela passou a ter o nome atual. Como uma associação com finalidades culturais e científicas sem fins lucrativos, continua sua dedicação à formação, ao ensino e à pesquisa, dentro de uma política de valorizar a abertura e a troca com outras instituições, o permanente estudo e trabalho pelo desenvolvimento da psicanálise, assim como dedicação à inserção nessa área do saber tanto nacional como internacionalmente. A SPID é uma sociedade-membro da International Federation of Psychoanalytical Societies (IFPS), tendo estado presente nesta importantíssima associação de instituições psicanalíticas, que congrega 29 sociedades dos mais diversos países, desde os inícios de sua existência em 1969, mantendo expressiva participação em todas as suas assembléias e congressos internacionais, que ocorrem de 2 em 2 anos.

 

Tempo Psicanalítico é parte integrante e importante desse projeto de intercâmbio científico e presença na área da psicanálise nos níveis nacional e internacional. Tanto os autores quanto os membros do conselho científico da revista são oriundos das diferentes instituições e diferentes estados do Brasil e de outros países.

 

Os trabalhos publicados são inéditos e a linha editorial está definida da seguinte forma:

 

A revista Tempo Psicanalítico é uma publicação semestral de trabalhos originais que se enquadrem em alguma das seguintes categorias: estudos teórico-clínicos, relatos de pesquisa, revisões críticas da literatura, relatos de experiência profissional, notas técnicas e resenhas de artigos e livros na área da Psicanálise e áreas relacionadas. Excepcionalmente serão publicados artigos não originais, de difícil acesso e/ou traduções. O objetivo da publicação é contribuir para a pesquisa e a produção de conhecimento no Rio de Janeiro e no Brasil, missão a que ela vem atendendo há alguns anos, visto que é considerada uma referência em sua área.

 

Quanto à política editorial, especifica-se que todos os direitos editoriais são reservados a Tempo Psicanalítico. A aceitação do trabalho para a publicação implica na transferência de direitos do autor para a revista. Nenhuma parte das publicações pode ser reproduzida, estocada por qualquer sistema ou transmitida por quaisquer meios ou formas existentes ou que venham a ser criados, sem prévia permissão por escrito do editor responsável e, caso essa seja concedida, deverá constar o crédito de referência, de acordo com as leis de direitos autorais vigentes no Brasil. A política adotada relativamente à cópia de artigos vem sendo sempre a de fornecer autorização para sua reprodução, impressa ou eletrônica, insistindo na exigência de que a primeira publicação em Tempo Psicanalítico seja reconhecida e mencionada.

 

Políticas de Seção

Edição completa

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Não verificado Avaliado pelos pares

Expediente

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Não verificado Avaliado pelos pares

Editorial

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Não verificado Avaliado pelos pares

Artigos

Política padrão de seção

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Dossiê

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Resenhas

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Não verificado Avaliado pelos pares
 

Processo de Avaliação pelos Pares

 

A revista conta com um conselho editorial-científico composto por pesquisadores de reconhecida competência na área de sua abrangência, de diferentes instituições de ensino e pesquisa de diversos estados do Brasil e do exterior. Todos os artigos são submetidos à avaliação por pares, realizada pelos membros do conselho científico-editorial ou por pesquisadores de diferentes instituições de ensino e pesquisa, por eles indicados como pareceristas ad hoc, em função da competência no tema/assunto do artigo avaliado. Tanto os artigos enviados por autores nacionais, quanto os enviados por autores estrangeiros passam por esse processo de avaliação.

 

Todos os autores são notificados sobre o resultado do processo de avaliação. Os artigos aprovados incondicionalmente são diretamente enviados para publicação. No caso de artigos cuja publicação depende de modificações, as alterações propostas são enviadas aos autores para que decidam se concordam em empreendê-las. No caso de artigos não aproveitados para publicação, os autores são avisados dessa decisão.

 

 

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.