Alienação e separação no Seminário 11 de Lacan: uma proposta de interpretação

Pedro Costa Zanola, Rosane Zétola Lustoza

Resumo


Este artigo propõe um estudo teórico interpretativo das operações alienação e separação da causação do sujeito, tal como apresentadas por Lacan no seminário Os quatro conceitos fundamentais da psicanálise. Será dada ênfase especial à afirmação lacaniana de que a separação implicaria em um retorno à alienação. Essa questão nos levou a deslindar duas vertentes distintas da alienação. A raiz da alienação, que descreve como o sujeito surge no campo simbólico marcado por uma falta radical de essência, sendo a subjetividade causada a partir de uma perda primordial de ser. Há também um segundo sentido, o retorno da alienação, que se consolida após a separação, na qual o sujeito se fixa como objeto frente ao desejo do Outro. Lacan definirá também uma separação adicional que deveria ser produzida no final de uma análise. Esse processo ficará conhecido como a travessia do fantasma, indicando uma separação derradeira, permitindo ao sujeito se separar do segundo sentido apresentado da alienação, deparando-se com a falta como causa do desejo para além de suas fixações.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.