A mudança em psicanálise e a psicanálise em mudança. Parte I

António Pazo Pires

Resumo


O tema é como é vista a ação terapêutica em psicanálise hoje e no passado. Defendo a ideia de que se assiste com frequência a uma sobrevalorização das visões e intervenções tradicionais com desconhecimento das conceptualizações e descobertas mais recentes e em alguns casos por uma preferência pelas novas formas de conceptualização e intervenção e desvalorização excessiva das mais antigas. Conceitos chaves no processo terapêutico como a recordação, o insight, a interpretação a resistência, neutralidade, e a transferência foram reformulados ou deixaram de ser o centro da atuação e viram diminuída a sua importância cedendo a relevância a conceitos como a contratransferência, identificação projetiva, e mais recentemente a relação, o enactment, a emoção, as relações interpessoais fora do setting, e o futuro do paciente. A psicanálise virou a sua atenção do paciente para analista. Discutem-se as mudanças das visões tradicionais em visões contemporâneas e as suas implicações em dois textos. Neste texto identificado como a primeira parte vamos abordar a recordação, o insight, interpretação, resistência, e a neutralidade. Os restantes serão abordados na segunda parte.


Palavras-chave


ação terapêutica; recordação; insight; interpretação; resistência; neutralidade

Apontamentos

  • Não há apontamentos.