Freud: do mito à cultura

Marcio Garrit, Ana Maria Rudge

Resumo


O objetivo desse artigo é discorrer sobre o mito de autoria de Freud a respeito da fundação da cultura.  É em Totem e Tabu (1913) que o pai da psicanálise empreende uma construção, a partir de achados de sua prática clínica e de conceitos psicanalíticos e, sem dispensar o apoio em trabalhos antropológicos, apresenta uma concepção sobre as bases nas quais a civilização se apoia. Sua importância é ser a primeira incursão da psicanálise no que hoje é chamado por alguns de antropologia psicanalítica, ou seja, de estudo psicanalítico sobre a cultura, embora outros considerem, em vista da metodologia diversa que caracteriza os dois campos, que se trata de metapsicologia.


Palavras-chave


Cultura; mito; neurose; sujeito; tabu; totem

Texto completo:

PDF

Referências


Abbagnano, N. (2012). Dicionário de filosofia. (6º ed.) RJ: WMR MARTINS FONTES.

Freud, S. (1897) Draft N.The Standard Edition of the Complete psychological works of Sigmund Freud. Vol I London: The Hogarth Press, 1975, p. 255-257

Freud, S. (1905) Three essays on the theory of sexuality.The Standard Edition of the Complete psychological works of Sigmund Freud. Vol VII London: The Hogarth Press, 1975, 125 – 248.

Freud, S. (1913). “Totem e tabu”. In. Freud, Sigmund. Obras completas, volume 11: Psicologia das massas e análise do eu e outros textos. Tradução Paulo Cesar Souza. (1º ed.) São Paulo: Cia das letras, 2012. p.7-157.

Freud, S. (1921). “Psicologia das massas e análise do eu”. In. Freud, Sigmund. Obras completas, volume 15: Psicologia das massas e análise do eu e outros textos. Tradução Paulo Cesar Souza. (1º ed.) São Paulo: Cia das letras, 2014. p.9-100.

Freud, S. (1930/2010).”O mal-estar na civilização. In Freud, Sigmund. Obras completas, volume 18s (1930-36) – 1ª ed. – São Paulo: Companhia das letras, .

Freud, S. (1939). “Moisés e o monoteísmo três ensaios”. In. Freud, Sigmund. Obras completas, volume XXII: Moisés e o monoteísmo, esboço de psicanálise e outros trabalhos (1937-1939). Tradução James Strachey. (1º ed.) Rio de Janeiro:Imago, 1996. p.19-67.

Freud, S. e Ferenczi, S. In (Orgs )Falzeder, E.; Brabant, E.; Giampieri, P. Correspondência Sigmund Freud - Sandor Ferenczi Vol 1, tomo 1, 1908-1911. Rio de Janeiro: imago, 1994.

Freud, S. e Ferenczi, S. In (Orgs )Falzeder, E.; Brabant, E.; Giampieri, P.Correspondência Sigmund Freud - Sandor Ferenczi. Vol. 1, tomo 2, 1912-1914. Rio de Janeiro: imago, 1995.

Geertz, C. (1989). A Interpretação das Culturas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

Koltai, C. (2010). Totem e tabu: um mito freudiano. Coleção para ler Freud. (1º ed.) Rio de Janeiro: Civilização brasileira.

Lacan, J. (1988). A ética da Psicanálise (1959-1960). Rio de Janeiro: Jorge Zahar

Lévi-Strauss, C. (1973). Antropologia Estrutural, Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro.

Maranhão, BCC (2008) Do Contrato Social em Hobbes e em Freud: Desejo, discurso e os fundamentos do Direito. Dissertação PUC-Minas.Consulta em 28/03/2020http://www.biblioteca.pucminas.br/teses/Direito_MaranhaoBC_1.pdf

Masson, J.M. (1986) A Correspondência completa de Sigmund Freud para Wilhelm Fliess 1887-1904.

Melman, C. (2003). O homem sem gravidade - gozar a qualquer preço. Rio de Janeiro: Cia de Freud.

Rudge, A. M; Fuks, B. B. (2011). Perspectivas da crítica freudiana à cultura. In: BRAUNSTEIN, Néstor A.; FUKS, Betty. (Org.). 100 anos de novidade: A moral sexual “cultural” e o nervosismo moderno, de Sigmund Freud [1908-2008]. (1º ed.). Rio de Janeiro: CONTRA CAPA. p.73-89.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.