O ato infracional como ato anti-hamletiano de adolescentes sob condição de indignação e revolta

Cássio Eduardo Soares Miranda, Marcelo Ricardo Pereira

Resumo


Partindo da noção de indignação e revolta, com base nas análises freudo-lacanianas de Hamlet, de Shakespeare, este ensaio discute a relação entre desinserção social e ato infracional de adolescentes em conflito com a lei. Para isso, remonta ao conceito de adolescência e de desorientação simbólica para analisar como esses sujeitos, à diferença do personagem shakespeariano, são impelidos a agir mediante a revolta, mesmo que seu ato possa levá-los ao pior. Por meio do caso José, conclui mostrando alguma saída possível para adolescentes criminais que não se reduza nem à paralisia neurótica nem ao ato não dialetizável.

Palavras-chave


adolescência; indignação; revolta; desinserção social; ato infracional.

Texto completo:

PDF

Referências


Ariès, P. (1981). História social da criança e da família. (Trad. Dora Flaksman. 2ª edição). Rio de Janeiro: Zahar Editores.

Brasil (1990). Estatuto da criança e do adolescente. Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas.

Brasil (2019). Panorama da execução dos programas socioeducativos de internação e semiliberdade nos estados brasileiros. Conselho Nacional do Ministério Público. Brasília: CNMP.

Camus, A. (1996). O homem revoltado. Rio de Janeiro: Record.

Cerqueira, D., & Bueno, S. (Coord.). (2019). Atlas da violência – 2019. Rio de Janeiro: IPEA; São Paulo: FBSP.

Cottet, S. (2008) Criminologie lacanienne. Mental, n. 21, La société de surveillance et ses criminels. Revue Internationale de Santé Mentale et Psychanalyse Apliquée. França: l’École Européenne de Psychanalyse et de la New Lacanian School, outubro/2008. Publicado em português em aSEPHallus, 8. Recuperado em 30 ago. 2020 de .

Dahlberg, L. L., & Krug, E. G. (2006). Violência: um problema global de saúde pública. Ciência & Saúde Coletiva, 11(Supl.), 1163-1178. https://doi.org/10.1590/S1413-81232006000500007

Davoglio, T. R., & Gauer, G. J. C. (2011). Adolescentes em conflito com a lei: aspectos sociodemográficos de uma amostra em medida socioeducativa com privação de liberdade. Contextos Clínicos, 4(1), 42-52. Recuperado em 08 nov. 2020 de .

Deltombe, H. (2016). Sair da adolescência. Almanaque online Revista Eletrônica do IPSM-MG, 16. Belo Horizonte.

Freud, S. (1976). A interpretação dos sonhos. In Freud, S. [Autor], Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, v. IV. Rio de Janeiro: Imago. (Original publicado em 1900)

Freud, S. (1976). Três ensaios sobre a teoria da sexualidade. In Freud, S. [Autor], Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, v. VII. Rio de Janeiro: Imago. (Original publicado em 1905)

Freud, S. (1996). Algumas consequências psíquicas da distinção anatômica entre os sexos. In Freud, S. [Autor], Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, v. XIX. Rio de Janeiro: Imago. (Original publicado em 1905)

Ginzburg, J. (2012). Literatura, violência e melancolia. Campinas: Autores Associados.

Hall, G. S. (1904). Adolescence: Its psychology and its relations to physiology, anthropology, sociology, sex, crime, religion and education, v. 2. New York: D. Appleton and Company.

Lacadée, P. (2011). O despertar e o exílio: ensinamentos psicanalíticos da mais delicada das transições, a adolescência. Rio de Janeiro: Contracapa.

Lacan, J. (1979). O seminário, livro 11: os quatro conceitos fundamentais da psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Seminário original de 1964)

Lacan, J. (1986). Shakespeare, Duras, Wedekind, Joyce. Lisboa: Assírio e Alvim.

Lacan, J. (1988). O seminário, livro 7: a ética da psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor. (Seminário original de 1959-1960)

Lacan, J. (1992). O seminário, livro 8: a transferência. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor. (Seminário original de 1961-1962)

Lacan, J. (2003). Os complexos familiares na formação do indivíduo. In Lacan, J. [Autor], Outros escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Original publicado em 1938)

Lacan, J. (2006). Os problemas cruciais da psicanálise. Seminário 1964-1965. Publicação Interna. Recife: Centro de Estudos Freudianos do Recife.

Lacan, J. (2016). Sete lições sobre Hamlet. In Lacan, J. [Autor], O seminário, livro 6: o desejo e sua interpretação. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor. (Seminário original de 1958-1959)

Laurent, É. (2019). Entrevista concedida a Ana Lydia Santiago (Parte 5). Boletim OCI#7. IX Enapol. Circulação por Veredas em 01/07/2019.

Machado. O. (2013). A violência e a nova ordem. In Conversações ENAPOL 2013. Relatório de Grupo de Trabalho da Escola Brasileira de Psicanálise. Recuperado em 20 ago. 2015 de .

Machado, I. L. (2020). Entrevista virtual concedida em 19/09/2020.

Miller, J.-A. (1993). Jacques Lacan: observaciones sobre su concepto de pasaje al acto. In: Infortunios del Acto Analítico, Colección Algoritmo. Buenos Aires: Atuel.

Miller, J.-A. (2007). Préface. In: Le cas Landru (p. 7-17). Paris: Imago.

Miller, J.-A. (2008). Sobre o desejo de inserção e outros temas I. Correio – Revista da Escola Brasileira de Psicanálise, 62: Sobre o desejo de inserção. Escola Brasileira de Psicanálise, mar., p. 5-17.

Miller, J.-A. (2010). Comment se révolter? La Cause freudienne, 75, 212-217.

Miller, J.-A. (2015). Nada é mais humano que o crime. Almanaque online. Belo Horizonte. Recuperado em 30 ago. 2020 de .

Moraga, P. (2018). Pinceladas de dignidade. Recuperado em 19 jun. 2020 de .

Nasio, J.-D. (1997). O conceito de identificação. In Nasio, J.-D. [Autor], Lições sobre os 7 conceitos cruciais da psicanálise. Rio de Janeiro: Editora Jorge Zahar.

Pereira, M. R., & Gurski, R. (2014). A adolescência generalizada como efeito do discurso do capitalista e da adultez erodida. Psicologia & Sociedade, 26(2), 376-383. https://doi.org/10.1590/S0102-71822014000200014

Shakespeare, W. (2003). Hamlet. São Paulo: Planeta DeAgostini. (Original publicado em 1601).

Silva, I. (2009). Fracasso escolar e adolescentes infratores: a vulnerabilidade social de adolescentes de baixa escolaridade. Dissertação de Mestrado em Educação, Cultura e Comunicação em Periferias Urbanas. (Orientação: profa. Isabel Ortigão). Faculdade de Educação da Baixada Fluminense. Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Duque de Caxias-RJ. 111p.

Stevens, A. (2000). Nuevos sintomas en la adolescência. Revista Lazos, 4, 49-56. Rosário, Escuela de La Orientácion Lacaniana, Sección Rosário.

Teixeira, A. (2010). A vocação irônica da psicanálise. Tempo Psicanalítico, 42(1), 9-38. Recuperado em 30 ago. 2020 de .

Tendlarz, S. E., & Garcia, C. D. (2013). A quem o assassino mata? O serial killer à luz da criminologia e da psicanálise. São Paulo: Editora Atheneu.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.