Da poesia dita que adormece e da escrita poética chinesa que desperta

Autores

  • Cleyton Andrade Universidade Federal de Alagoas - UFAL

Palavras-chave:

psicanálise, fala, escrita, interpretação analítica, escrita poética chinesa.

Resumo

O texto procura traçar coordenadas iniciais para a compreensão da referência lacaniana a respeito da interpretação com relação à escrita poética chinesa. Para isso, aborda um percurso que passa por uma crítica lacaniana à fala como um dito que adormece, pelo modo de o analista responder a isso com um corte, até chegar a uma discussão que procura indicar uma diferença entre fala e escrita. Diferença fundamental para uma concepção de interpretação analítica pensada a partir da escrita – e, sobretudo, de uma escrita que não é para ser lida – para chegar a um
ponto de tornar pensável uma relação entre interpretação analítica e escrita poética, na condição de que esta última compreenda os elementos mínimos de uma escrita poética chinesa.

Biografia do Autor

Cleyton Andrade, Universidade Federal de Alagoas - UFAL

Universidade Federal de Alagoas - UFAL, Instituto de Psicologia - Maceió, AL, Brasil.

Referências

André, J. (2014). Les destructions de Narcisse. Revue française de psychanalyse, 78 (1), pp. 61-67.

Bauman, Z. (1998). O mal-estar da pós-modernidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor.

Bauman, Z. (2004). Amor líquido: sobre a fragilidade dos laços humanos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed.

Birman, J. (1997). Estilo e modernidade em psicanálise. São Paulo: Editora 34.

Birman, J. (2007). Mal-estar na atualidade: a psicanálise e as novas formas de subjetivação. Rio de Janeiro : Civilização Brasileira Editora.

Birman, J. (2012). O sujeito na contemporaneidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira Editora.

Birman, J. (2014). Drogas, performance e psiquiatrização na contemporaneidade. Ágora, 17 (Número especial), pp. 23-37.

Cabral, N., & Tibúrcio, D. M. (2016). Narcisismo e biopolítica. Tempo Psicanalítico, 48(1), pp. 147-170.

Dunker, C. (2015). Mal-estar, sofrimento e sintoma. Coleção Estado de Sítio. São Paulo: Boitempo Editorial.

Efken, P. H. O., & Cardoso, M. R. (2016). A crueldade em ato: marca de uma indiferença extrema. In Bastos, A. (Org.), Interpretação e ato na experiência analítica, v. 1, p. 109-126. Rio de Janeiro: Contracapa.

Freud, S. (2006). A concepção psicanalítica da perturbação psicogênica da visão. In Freud, S. [Autor], Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, v. 11. Rio de Janeiro: Imago. (Original publicado em 1910)

Freud, S. (2006). Sobre o narcisismo: uma introdução. In Freud, S. [Autor], Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, v. 14. Rio de Janeiro: Imago. (Original publicado em 1914)

Freud, S. (2006). Além do princípio de prazer. In Freud, S. [Autor], Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, v. 18. Rio de Janeiro: Imago. (Original publicado em 1920)

Freud, S. (2006). O ego e o id. In Freud, S. [Autor], Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, v. 19. Rio de Janeiro: Imago. (Original publicado em 1923)

Freud, S. (2006). O mal-estar na civilização. In Freud, S. [Autor], Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, v. 21. Rio de Janeiro: Imago. (Original publicado em 1930)

Freud, S. (2006). Projeto para uma psicologia científica. In Freud, S. [Autor], Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, v. 1. Rio de Janeiro: Imago. (Original publicado em 1950 [1895]).

Gondar, J. (2014). Um paradoxo nos sofrimentos narcísicos. In Herzog, R., & Pacheco-Ferreira, F. (Orgs.), De Édipo a Narciso: a clínica e seus dispositivos. Rio de Janeiro: Cia de Freud: UFRJ; Brasília, DF: CAPES PRODOC.

Green, A. (1988a). Narcisismo de vida, narcisismo de morte. Rio de Janeiro: Imago Editora.

Green, A. (1988b). Sobre a loucura pessoal. Rio de Janeiro: Imago Editora.

Figueiredo, L. C., & Cintra, E. M. U. (2004). Lendo Andre Green: o trabalho do negativo e o paciente limite. In Cardoso, M. R. (Org.), Limites (pp. 13-58). São Paulo: Escuta.

Herzog, R., & Pacheco-Ferreira, F. (2014a). Prefácio. In Herzog, R., & Pacheco-Ferreira, F. (Orgs.), De Édipo a Narciso: a clínica e seus dispositivos (pp. 9-20). Rio de Janeiro: Cia de Freud: UFRJ; Brasília, DF: CAPES PRODOC.

Herzog, R., & Pacheco-Ferreira, F. (2014b). De Édipo a Narciso: a técnica em questão. In Herzog, R., & Pacheco-Ferreira, F. (Orgs.), De Édipo a Narciso: a clínica e seus dispositivos (pp. 23-38). Rio de Janeiro: Cia de Freud: UFRJ; Brasília, DF: CAPES PRODOC.

Lasch, C. (1983). A cultura do narcisismo. Rio de Janeiro: Imago Editora.

Lazzarini, E., & Viana, T. (2010). Ressonâncias do narcisismo na clínica psicanalítica contemporânea. Análise Psicológica, 28(2), 269-280.

Maia, M. (2005). Extremos da alma: dor e trauma na atualidade da clínica psicanalítica. (2ªed.). Rio de Janeiro: Garamond.

Monteiro, R. R. D. G., & Cardoso, M. R. (2014). A relação eu/outro nos estados limites: aspectos teóricos e clínicos. In Herzog, R. & Pacheco-Ferreira, F. (Orgs.), De Édipo a Narciso: a clínica e seus dispositivos (pp. 161-177). Rio de Janeiro: Cia de Freud: UFRJ; Brasília, DF: CAPES PRODOC.

Sennett, R. (1999). A corrosão do caráter: consequências pessoais do trabalho no novo capitalismo. Rio de Janeiro: Record.

Wacquant, L. (2001). As prisões da miséria. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editora.

Wilde, O. (2000). Os discípulos. In [Autor], As obras-primas de Oscar Wilde (trad. Marina Guaspari). Rio de Janeiro Ediouro.

Winnicott, D. (1982). Textos selecionados: da pediatria à psicanálise (2ª.ed.). Rio de Janeiro: Francisco Alves.

Winnicott. (1987). Privação e delinquência. São Paulo: Martins Fontes.

Downloads

Publicado

2017-12-10

Edição

Seção

Artigos